Fome psicológica ou física? Descubra qual você anda sentindo

Hello , Friends!

Escrevi este post uns meses atrás no blog do metodo4mind.com.br e queria compartilhar com vocês! Me contem o que achou!

Provavelmente não é física! Eu sei, eu sei..Seu estômago roncou de verdade, você quase desmaiou, ao chegar perto de comida você salivou muito. E tudo isso são fenômenos físicos. Mas o ponto que quero chegar é que a “necessidade” fisiológica de alimento é uma outra questão.

 

Você já ouviu falar de jejum intermitente e até os benefícios dos jejuns prolongados, então como pode ser que uma pessoa tem fome real se o almoço atrasa meia hora? A fome física mesmo, de falta de nutrientes, com o corpo canibalizando músculos para usar como energia é algo que a gente vê nas tristes cenas de fome na áfrica. Esse tipo de fome acredito que ninguém que está lendo este post um dia irá sentir. Felizmente.

Mas ok, mas e a fome que sinto é imaginária? Não é, mas vamos pontuar algumas situações que levam a ela.

Você está em uma dieta com excesso de carboidratos

Nesta situação, seu corpo depende de uma fonte externa de energia uma vez que as reservas de carboidratos são poucas. Com este caminho enzimático que não é priorizar a gordura, que é a forma que seu corpo foi feito, uma vez que as reservas ficam baixas, ele te dá fome para que você traga mais fonte de energia mesmo que tenha reserva de gordura disponível. Por isso uma dieta baixa em carboidratos rapidamente diminui a fome. É seu corpo dizendo que vai usar as suas reservas de gordura.

Você está viciado em açúcar, industrializados e produtos altamente processados

Uma vez eu me peguei no Drive Tru de um McDonalds de madrugada. Eu tinha comida em casa mas o que eu queria era sanduiche, refrigerante, sorvete.. Na época eu não entendia e chamava fome de McDonalds. Como pode ser fome real se temos comida em casa? Eu tinha carne, ovos? Fome física não escolhe e se for escolher, escolherá os alimentos mais nutritivos e não “junk foods”.

Você come por hábito, rotina

Tenho um capítulo do meu livro dedicado a isso. Mas vou ser sucinto e comparar com o famoso exemplo da campainha de Pavlov. Quando se tocava a campainha o cachorro do experimento já salivava pq estava condicionado a sempre ter a refeição pós campainha. Agora imagine a cena. Todos os dias você chega em casa para almoçar. Seu corpo já segue um padrão. Você pode nem estar com fome mas o hábito fará que assim que você chega em casa, já sente o cheiro da comida na cozinha, mesmo horário etc. Seu corpo já se prepara e nisso você criou uma fome que talvez nem estivesse lá.

Crenças infundadas que geram fome

Tenho que comer de 3 em 3 horas, se não comer vai me dar gastríte, eu desmaio, tenho sempre barrinhas de cereal comigo e por aí vai. Suas crenças fazem seus hábitos e seus hábitos fazem você.

Associações Mentais

A comida em suas várias formas fazem parte de nossas vidas. Ela carrega emoções, sentimentos. As vezes comemos para resgatá-los. Uma vez estava dando uma Palestra em salvador e uma garota disse que era 22h e ela estava cozinhando um feijão que a mãe dela fazia. Ela havia casado e se mudado para Salvador há pouco tempo. Concluímos conversando que ela não estava com fome, estava com saudades de casa. E um telefonema resolveria de forma muito mais positiva.

Pois é, parece complicado, mas não é tanto. Mas realmente temos que entender que não somos uma máquina em que se passa a programação ou dieta ideal e vamos sair fazendo. Somos um conjunto de sentimentos e emoções e tudo influencia na nossa relação com a comida. Se tratar como um rato em uma gaiola de um laboratório que tem a comida preparada e pesada em todas as refeições é diferente de enfrentar o mundo que celebra tudo com comida, que quer que você coma tudo com moderação, que te oferece em cada comercial aquele vício que te fez tanto mal. Mas tem jeito sim. E estou aqui para te ajudar nisso!

Coach Teco Mendes

 

Categorias: Artigos,Coaching e Comportamento

Comentários fechados

X