Porque Dia do lixo/Livre não é pra você

Hello Friends!!

Sim! Dia do lixo! Aquele dia que você pode comer tudo que quiser. O amado sorvete, brigadeiro, pipoca doce, bolo…Bom, deixe eu parar porque você já está salivando. A ideia é simples: Você fica em dieta 6 dias na semana e tira um dia para a famosa hashtag eu mereço, hashtag hojepode. Como “se comportou” durante os outros dias, ter um dia de excessos além de não atrapalhar pode até ajudar o corpo a não baixar o metabolismo basal achando que você está num deserto (essa teoria é furada mas fic pra um outro post). Aí você vive seus dias vendo o oásis que é seu dia do lixo chegando. Até anota as coisas que vê nas propaganda na TV pra comer neste dia, como, por exemplo o novo chocolate trufado da Kopenhagen. Está tudo lindo e problema resolvido! Só que não…

Você já deve ter tentando isso e não conseguiu e quem consegue não é como você

Você já conheceu essa estratégia e as vezes foi até passado por um profissional da saúde. O problema é que essa estratégia pode até funcionar, mas não para quem um relacionamento ruim com comida, viciado em açúcar ou acima do peso. As redes socias estão cheias de pessoas com corpos bonitos que de vez em quando postam uma Jacada com fotos lindas e no outro dia estão como se nada estivesse acontecido. Eu, quando fazia isso, no outro dia estava desesperado para continuar comendo. Como não vivemos em uma gaiola em um laboratório, temos eventos sociais, um jantar durante a semana, um aniversário na empresa, uma viagem. E como você não está resolvendo seu relacionamento com comida, está apenas criando regras que não consegue seguir. E o pior, se sente mal porque essa regra serve para alguns (que nunca foram gordos ou tiveram problemas com comida).

Viver 6 dias num deserto e um dia no Oásis?

O próprio conceito em si mantem você num ciclo de infelicidade. Faz sentido ficar fazendo força para se manter na linha pra ser feliz um dia na semana? Mesmo se você conseguisse? O ideal não seria ser feliz todos os dias e tratar aquilo que te faz mal de forma apropriada para cada vez você, com autoaceitação e estratégias gostar cada vez menos? Que tal viver 7 dias no paraíso? E sim, é possível! Se você perguntar a um alcoólatra se ele quer parar de beber porque o fígado já está quase não funcionando se ele topa melhorar a saúde bebendo só uma vez por semana, ele, com a cabeça viciada com certeza deve topar. Mas qual a chance de isso dar certo? Com o tempo, abstinência, sobriedade, ele vai entender que aquela felicidade da bebida era ilusória. Assim como você também irá perceber que a autoestima, saúde, seu peso ideal, são mais importantes que qualquer prazer momentâneo que o açúcar dá. E sem perder o prazer e felicidade com a comida..Comida de verdade!

Mas nunca mais vai poder comer isso ou aquilo?

Claro que vai, mas tem uns poréns. Você tem que deixar a versão magra e sem vício de você que mora no futuro decidir o que. Não se começa nada com uma alimentação que te mantém no vício. Aí você vai ter a serenidade de decidir o que volta, como volta e porque volta. Seja por gosto, costume, questão social etc.. Mas tem que obedecer 3 regras “Te manter magro, saudável e com a adesão ao seu estilo de vida”. Eu cito a pipoca no cinema num vídeo que gravei ao vivo para uma turma de Coaching que falei sobre equilíbrio ao se chegar ao peso ideal. O esforço para perder é diferente do esforço para manter Clique aqui para assistir. Ele é um vídeo bem completo que vai te tirar as dúvidas sobre essa parte. 😉

 

Me conte o que achou!

 

Abraço,

Teco Mendes

 

Categorias: Artigos,Coaching e Comportamento

1 Comentário