Artigo traduzido de Mark Sisson :O Guia Definitivo Ao Colesterol

Hello Friends!!

Sim!! Mais um guia definitivo do Mark Sisson e desta vez sobre um assunto que assusta muita gente! É tão importante que eu mesmo estou pra lançar um guia de mais de 40 páginas sobre o assunto! Vamos começar , digo, continuar a abrir a cabeça! Boa leitura.

 

 

Bem-vindo! Se você quer perder peso, ganhar músculo, aumentar os níveis de energia ou apenas parecer e se sentir saudável, você chegou ao lugar certo.
Aqui está como começar:
1. Visite as páginas Comece Aqui e Primal Blueprint 101 para aprender mais sobre o estilo de vida Primal.
2. Inscreva-se em minha newsletter semanal gratuita para receber 10 eBooks, um curso de 7 dias dos Fundamentos Primal e muito mais – tudo de graça.
3. Vá direto ao ponto visitando o PrimalBlueprint.com. Lá você vai encontrar livros, opções de apoie e os melhores suplementos no planeta para ajudá-lo a assumir o controle de sua saúde para sempre.

Obrigado pela visita!

colesterol_001

Com toda essa conversa de lutar, combater e acabar com o colesterol, você poderia pensar que ele até mesmo veste um traje de plástico todo preto e tem a voz do James Earl Jones. A grande indústria farmacêutica tem criado devidamente um belo arsenal para nossa suposta defesa e a comunidade médica vem sendo a facção disposta a entregar a retórica que incita todos nós a pegarmos as armas. Se pudéssemos pelos menos acabar com os Big Macs. E os Ding Dong, HoHos, Twinkies e… Você entendeu a questão.

colesterol_002

Porém, o malfeitor trapaceiro, aquele vilão que nos ameaça, não será encontrado no comando da Estrela da Morte. Acontece que há sim um inimigo, mas nem mesmo é o colesterol. Antes de cair de joelhos, rasgar sua camisa e rangem os dentes, você talvez queira considerar uma notícia que você não ouve com tanta frequência: o composto em questão é absolutamente essencial para o seu funcionamento físico, psicológico e cognitivo.

Sim, a mensagem nos dias de hoje parece ser a de que nenhum número é baixo o suficiente quando se trata de colesterol (com exceção ao HDL, mas falaremos dele mais tarde). Eu gostaria de oferecer um olhar mais profundo sobre esta questão, um olhar amigável o suficiente, porém mais complexo e controverso do que aquele que você recebe através das propagandas onde dizem para você falar com seu médico sobre blá, blá, blá. Considere isto como um dos guias definitivos do MDA que são concedidos com muita alegria para nossa sociável e sempre pensativa comunidade.

Com licença, você já conhece o colesterol?

colesterol_003

O colesterol é uma cera, um charmoso lipídio que agracia a membrana de cada uma de nossas células e nosso plasma sanguíneo. Seus trabalhos, que são muitos, incluem isolar neurônios, construir e manter as membranas celulares, metabolizar vitaminas solúveis em gordura, produzir bile e dar o pontapé inicial para a síntese do corpo de muitos hormônios, incluindo os hormônios sexuais. Na verdade, só coisas legais.

Dado todo o trabalho que o colesterol tem, o fígado garante cuidadosamente que o corpo sempre tenha o suficiente e produza cerca de 1000 a 1400 miligramas dele todos os dias. Em comparação, o limite de 300 miligramas recomendado para sua dieta de colesterol (o imposto que você paga funcionando na USDA) é uma gota d’água no oceano. E saiba disso: nossos fígados vêm com mecanismos de feedback (sem custo adicional) que regulam a produção de colesterol em resposta ao nosso consumo alimentar. Quando comemos mais, ele produz menos, e vice-versa. Imagine isso!

(Nota interessante: Enquanto os produtos de origem animal como carne, ovos e laticínios, são, de longe, a principal fonte de colesterol dietético, as plantas contêm pequenas quantidades de colesterol e substâncias tipo o colesterol, chamadas de fitosteróis, que podem ajudar a diminuir o colesterol no sangue e o colesterol “sérico”. Ma não que isso importe, como veremos em breve.)
Então você pergunta: o que são todas essas siglas no meu perfil de colesterol? Vamos dar uma olhada. Em primeiro lugar, existem as lipoproteínas de alta densidade (HDL). (Lipoproteínas são partículas esféricas de gordura que tem proteínas solúveis em água ao seu redor. Elas transportam o colesterol). HDL: todo mundo adora esse cara. Ele tem o trabalho popular de levar colesterol dos tecidos do corpo de volta ao fígado. É basicamente o fim da linha desta rota, em seguida, o fígado elimina o HDL através da bílis. O HDL é o único que ajuda naturalmente a livrar o excesso de colesterol quando o corpo não precisa mais dele, por isso a sua popularidade universal. Alguns colesterologistas (acabei de inventar isso) se referem a ele como o caminhão de lixo da natureza.

Em seguida, existem as lipoproteínas de baixa densidade, o LDL. Também é uma lipoproteína e um entregador. O LDL tem o desonrado trabalho de levar o colesterol, após a sua produção no fígado, para os tecidos do corpo. Lembre-se, este é um trabalho importante! Este colesterol tem uma lista enorme de tarefas a fazer.

Ironicamente, verificou-se que não é a parte de colesterol da porção do LDL ou do HDL que é perigosa, mas sim a parte da lipoproteína. Infelizmente, uma vez que a medicina já tinha encontrado uma maneira de diferenciar entre a quantidade de HDL e de LDL em um exame de sangue de baixo custo, foi o colesterol que ficou na desvantagem.

A mais recente pesquisa sobre o LDL mostra que existem na verdade subcategorias neste transporte de colesterol e que algumas são mais perigosas do que as outras. Pensa-se agora que as maiores e mais revoltas partículas de LDL tem pouco ou nenhum papel significativo na doença cardíaca. Por outro lado, se acredita que as pequenas partículas densas de LDL estão mais envolvidas no processo de inflamação que dá inicio a cascata da aterosclerose. E caso você não saiba, uma dieta rica em simples carboidratos é o que prontamente promove a formação destas pequenas partículas de LDL! Infelizmente, esta distinção importante é algo que provavelmente seu médico não sabe muito a respeito, mas é o número de pequenas partículas de LDL que talvez seja a leitura mais importante em qualquer teste de colesterol. Assim, um total de colesterol de, digamos 230 ou mesmo 250 pode não ser perigoso, se seu HDL for elevado e sua pequena partícula LDL for baixa.

Antes de prosseguirmos, vamos fazer uma breve menção aos triglicerídeos. Os triglicerídeos são, essencialmente, a forma que a gordura assume à medida que viaja para os tecidos do corpo através da corrente sanguínea. A relação entre o colesterol e os triglicerídeos é mais do que uma associação. Um nível de triglicerídeos elevado, que é inequivocamente alimentado por uma dieta rica em carboidratos, é frequentemente um marcador para outros problemas no corpo, particularmente a resistência à insulina (acompanhada por risco de diabetes), bem como a inflamação (com o seu risco de doença do coração). Altos níveis são muitas vezes vistos com o colesterol HDL baixo. Mais uma vez, a dieta rica em carboidratos causa estragos.

A Ascensão do Pânico ao Colesterol

colesterol_004

A doença cardíaca decolou no início do século XX e os médicos freneticamente procuraram pela causa ao longo das décadas seguintes. Testes nos anos cinquenta inicialmente mostraram uma associação entre a morte prematura por doença cardíaca e os depósitos de gordura e lesões ao longo das paredes das artérias. Como o colesterol estava presente nesses depósitos (é claro que estaria!) e como os pesquisadores tinham previamente associado a hipercolesterolemia familiar (níveis altos de colesterol hereditário) com a doença cardíaca, eles concluíram que o colesterol deveria ser o culpado. Na verdade o que acontece é que, em resposta a uma situação inflamatória, o corpo utiliza o colesterol como um “band-aid” para cobrir temporariamente quaisquer lesões na parede arterial. Em caso da inflamação ser resolvida, o “band-aid” vai embora e a reparação ocorre. Nenhum dano, nenhuma falha. Infelizmente, na maioria dos casos a inflamação continua, a placa de colesterol é eventualmente afetada por macrófagos e é oxidada a um ponto em que ocupa mais espaço na artéria, retarda o fluxo arterial e, eventualmente, pode se desprender e formar um coágulo. E durante todo esse tempo o colesterol só estava querendo ser um bom rapaz! Culpar o colesterol por tudo isso é como culpar todos os “band-aids” de sua casa por um dedo cortado.

A morte por doença cardíaca, de acordo com o CDC, diminuiu mais de 50% desde seu pico na década de 1950. O sucesso é atribuído a um número de fatores nas quais incluem a diminuição no hábito de fumar e o melhor diagnóstico e tratamento da pressão arterial elevada. Incluída na lista de fatores está a oportunidade da educação pública a respeito das descobertas/teorias científicas relacionadas ao colesterol. No entanto, as medições (incluindo as estimativas do CDC) de ingestão de gordura saturada no regime alimentar, mostraram que a ingestão de modo geral permaneceu a mesma ou aumentou.
Mas a mensagem do colesterol dietético permaneceu.

 

A Grande Indústria Farmacêutica Chegou Para Nos Salvar!

Recentes drogas que “combatem” o colesterol alto impediam sua absorção no trato digestório. Os efeitos colaterais sobre o sistema digestório foram desagradáveis o suficiente e os resultados modestos o bastante para que as drogas não recebessem muito apoio dos ambos os lados do bloco de receitas. Entram as estatinas. As estatinas inibem a produção natural de colesterol. Os efeitos colaterais não foram perceptíveis de imediato ou desconfortáveis e os resultados foram muito bons (pelo menos na redução do colesterol). (As recentemente assediadas Vytorin e Zetia combinam as ações da estatina com uma substância que reduz a absorção de colesterol dietético, impedindo o seu corpo de tentar compensar a produção de colesterol natural).

Mas o que dizer sobre o ímpeto natural do corpo para produzir uma dada e necessária quantidade de colesterol? O que acontece com as partes do corpo que precisam do colesterol? Como fica o mecanismo regulador do fígado? O que acontece quando você mexe com a evolução? Exatamente. Essas são os tipos de perguntas que são deixadas de lado quando você está montado no cavalinho de pau do colesterol da indústria farmacêutica.

 

Quais são os problemas com este modelo (“Lipídio”)?

colesterol_005

Aí está a pergunta de um milhão de dólares.
Primeiro, vamos voltar a questão evolutiva. Sendo um sistema natural de regulagem automática, o corpo irá reagir se não tiver o colesterol suficiente (sim, a definição de suficiência do corpo e não a da Merck). Se não há colesterol suficiente, o alarme dispara, luzes começam a piscar e o corpo entra em modo de crise. Hormônios corticoides coordenam a redistribuição de colesterol, uma espécie de triagem em que o colesterol é racionado entre as muitas áreas do corpo que precisam dele. No entanto, o corpo está agora trabalhando em condições precárias.

A quantia de colesterol adequado não está disponível para o sistema de reparo do corpo, para a captação de serotonina, para a iniciação completa de vitamina D e para a produção hormonal e sua regulação de açúcar no sangue e inflamação, etc, etc. O que a sua lógica diz aqui? Exato, nada está funcionando da maneira que deveria.

Deixe-me acrescentar também que o perfil de colesterol de todo mundo também vai ser diferente. E reconheço que uma porcentagem muito pequena de pessoas realmente possuem colesterol hereditário elevado, hipercolesterolemia familiar, uma condição metabólica com deficiência ou mesmo a falta de habilidade de metabolizar o colesterol. Esta condição pode ter graves consequências para a saúde. Falando nisso, esta condição, em sua forma heterozigota afeta no máximo 1 pessoa a cada 500. O colesterol sérico total destas pessoas está em 400mg/dL (em oposição aos 200 recomendados). A forma homozigótica afeta cerca de 1 pessoa a cada 250.000. Você provavelmente não conhece ninguém nesta categoria, porque doença dessas pessoas quase sempre acaba com suas vidas em uma idade muito jovem.

Eu menciono a hipercolesterolemia familiar porque eu quero distinguir ela das afirmações feitas por anúncios da grande indústria farmacêutica onde dizem que você pode ter colesterol alto porque as pessoas em sua família têm e – você pode acreditar – a empresa deles está aqui para ajudar. Dã! A família de todo mundo influencia no perfil de colesterol. Ele é, em sua maioria, genético. Sem grande preocupação quanto a isso. Só porque você vem de uma família com colesterol “elevado” não significa que você tem a desordem metabólica hipercolesterolemia familiar. Você pode muito bem apostar um monte de dinheiro na probabilidade de que o seu perfil de colesterol – bom ou mau – tem muito mais a ver com os comportamentos aprendidos, como dieta e exercício. O colesterol “elevado” não se iguala ao distúrbio metabólico.

 

Policial, Você Pegou O Cara Errado!
Eu já disse isso antes e eu vou dizer de novo. A pesquisa médica sólida e confiável não provou que a redução de colesterol por si só reduz o risco de morte por doença cardíaca em toda uma população. Sim, há sempre aquela único cara isolado que é a exceção, mas ele (ou ela) é uma anomalia estatística e não nega a legitimidade do modelo. Por exemplo, o povo japonês de Okinawa está entre os mais saudáveis ​​do mundo. A sua taxa de doenças cardíacas é extremamente baixa, porém eles tendem a ter os níveis de colesterol “elevados”.

O fato é que a metade de todos que sofrem ataques cardíacos pela primeira vez têm um perfil de colesterol perfeitamente “normal”. O que isso lhe diz? Deve haver alguma peça faltando por trás da “outra metade” e, eu argumento firmemente, por trás da primeira metade também. O colesterol é uma informação falsa.

Tudo se resume à inflamação. A inflamação é o fator número um na doença cardíaca. Este é um fato aceito, porém ainda recebe pouca atenção e nenhuma prevenção ou tratamento verdadeiro. Pense nisso: você verifica os seus níveis de colesterol a cada cinco anos ou mais se o seu perfil for “problemático”. Mas e quando é que você tem biomarcadores verificando se há alguma inflamação? A menos que você já tenha tido um ataque cardíaco ou foi diagnosticado com uma doença grave, a resposta provável é nunca.

colesterol_006

Inflamação. É causada pelo quê? Não pela gordura, mas sim pelos carboidratos. Sim, açúcares e carboidratos processados estão no topo da lista de culpados, mas grãos e amidos em geral contribuem para o problema. O LDL se eleva diretamente não pela quantidade de gordura saturada que você come, mas pelo aumento dos níveis de inflamação causado por carboidratos e gorduras trans.

Oxidação. Além disso, quase todos os estudos sugerem que o LDL se torna uma verdadeira ameaça só quando ele é oxidado. E o que oxida ele? Radicais livres. Estamos falando principalmente de gorduras trans, este mostro de aditivo encontrado em inúmeros produtos alimentares (em oposição aos alimentos). O que neutraliza os radicais livres (pois todos nós naturalmente temos alguns)? Antioxidantes: vegetais e frutas, é claro, assim como nozes, azeite de oliva, etc. Considere também um suplemento multi-antioxidante de base ampla que contém os nutrientes indicados para diminuir a oxidação.
Voltar para a questão da informação falsa. Substancialmente o colesterol “elevado”, HDL baixo ou LDL alto, pode ser motivo para você dar uma pausa, mas não pela razão que você imagina. O número pode lhe dizer que algo está errado, porém eles são sintomas mais de uma grande preocupação do que do próprio problema principal. O perfil de colesterol pode ser afetado por outras condições, como hipotireoidismo, diabetes não tratado ou pré-diabetes, gravidez (surpresa!), lactação, estresse, condições do fígado, doenças cardíacas (sintoma, não a causa), etc. Converse com seu médico sobre o que os seus números significam em seu esquema geral de sua saúde. Veja se você pode obter uma leitura sobre outros marcadores, como a proteína C-reativa (um indicador inflamatório) e os números dessas pequenas partículas de LDL.

 

Como Cuidar de Verdade da Saúde do Coração

colesterol_007

Agora que já acabamos com o frenesi do colesterol (porque o próprio frenesi é a ameaça real), vamos para a verdadeira questão sobre manter o coração saudável. Manter o coração saudável é prevenir a inflamação. Como dizemos aqui no MDA, isso significa uma dieta anti-inflamatória (com exercício). A nutrição primal se encaixa bem aqui também: grandes quantidades e variedade de vegetais, frutas, carnes de boa qualidade, gorduras saudáveis ​​e proteínas.

Além disso, a abundância de ácidos graxos ômega-3, em particular o óleo de peixe, irá afinar o sangue e ajudar a prevenir a coagulação, que junto com aterosclerose, é uma configuração séria para doença cardíaca e AVC. O óleo de peixe também ajuda a baixar os triglicerídeos e aumentar o “bom” HDL.
Leia mais em nossos arquivos do MDA para obter informações adicionais sobre a inflamação e sobre uma vida saudável. Obrigado por ficar em sintonia.

 

Nota do patrocinador:
Este post foi trazido a você pelo Damage Control Master Formula, provado de forma independente como o mais abrangente multivitamínico antioxidante de alta potência disponível em todo mundo. Com a maior quantia de antioxidante por dólar e um completo perfil antienvelhecimento e estresse, o Master Formula é verdadeiramente o único suplemento multivitamínico que você vai precisar. Acabe com as gavetas cheias de dezenas de diferentes suplementos com potência e eficácia questionável e experimente a diferença comprovada do Damage Control!
Você prefere ouvir a ler? Receba uma gravação de áudio deste post e inscreva-se no Podcast Blueprint Primal no iTunes aqui para ter acesso imediato a todos os episódios passados, atuais e futuros.

Categorias: Artigos

Tags: ,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,

4s Comentários

  1. Olá! Li seu blog de cabo a rabo, imprimi seus posts, reli, imprimi pra amigos… Era tudo o que estava precisando pra conseguir voltar pra dieta (fiz RA por 1 ano, perdi 25 kg, comecei a paleo em dezembro de 2013, perdi mais 5 kg e tive inúmeros outros benefícios. Aí uma série de férias-natal-ano novo-férias-visita da mãe + a falta de grandes resultados na balança me tiraram do caminho. rs). Sou muito grata! Muito! Mas minha sede continua! Tenho sentido falta de mais posts sobre comportamento/coaching/motivação… Será que vem mais por aí?
    Muito obrigada pelo seu trabalho!
    Rebecca.

    • Coach Teco Mendes

      Oi Rebecca! Nossa! Minha vida está uma loucura! Mas vem sim! Aguarde!!! bjo